Loading...
X
Ligue-nos! +351 214 100 480 | alterstatus@gmail.com

Doença Bipolar

A doença bipolar afecta entre 1% e 6% da população da União Europeia e tem um enorme peso social, incluindo o risco de morte prematura por suicídio. O seu diagnóstico incorrecto, ou tardio, pode levar ao atraso do tratamento adequado (substancialmente diferente da depressão “simples” ou unipolar) e ao prolongamento do sofrimento do indivíduo e dos impactos sociais.

A perturbação bipolar (também chamada doença maníaco-depressiva), é uma doença psiquiátrica grave, que causa mudanças extremas do humor, da energia e do funcionamento geral. Caracteriza-se por ciclos de depressão alternando com episódios maníacos (ver figura). Uma outra forma de apresentação é a presença de episódios mistos, em que são encontrados simultaneamente critérios diagnósticos tanto para depressão como para mania ou hipomania.

A hipomania tem os seguintes sintomas:

  • Elevação leve mas persistente (vários dias) do humor, da energia e da actividade

  • Sentimento intenso de bem-estar e de eficiência física e mental

  • Aumento da sociabilidade, do desejo de falar, da familiaridade e da energia sexual

  • Redução da necessidade de sono

  • A concentração e a atenção podem estar comprometidas, diminuindo a capacidade de se fixar no trabalho, relaxamento e lazer

  • Pode existir o envolvimento em actividades de risco ou gastos excessivos leves

  • Os sintomas não levam a perturbação marcada do funcionamento profissional ou a rejeição social

Os sintomas de mania são os seguintes:

  • Elevação do humor persistente (pelo menos uma semana) desproporcional às circunstâncias do indivíduo, podendo variar de uma jovialidade descuidada a uma excitação praticamente incontrolável

  • Aumento da energia, levando à hiperactividade

  • Desejo intenso de falar

  • Redução da necessidade de sono.

  • Distractibilidade intensa

  • Aumento da auto-estima com ideias de grandeza e o sobrestimar das suas capacidades.

  • Perda das inibições sociais, podendo levar a condutas imprudentes, irrazoáveis, inapropriadas ou deslocadas

  • Pode existir envolvimento em actividades de risco ou gastos excessivos

  • Os sintomas perturbam o ritmo normal de trabalho (ou escolaridade) e as actividades sociais

  • Para além disto nos quadros mais graves pode observar-se:

    • Ideias delirantes (em geral de grandeza) ou alucinações (por exemplo, ouvir vozes)

    • Agitação intensa ou actividade motora excessiva

    • O pensamento pode assumir a forma de “fuga de ideias” (os pensamentos fogem, não consegue pensar numa coisa de cada vez) de uma gravidade tal que o sujeito se torna incompreensível ou inacessível a toda comunicação normal

A doença bipolar continua a ser mal entendida, quer pelo público em geral quer pelos médicos. Muitas vezes uma criança bipolar é diagnosticada como tendo uma perturbação de conduta ou uma perturbação de défice de atenção e hiperactividade, tentativas de suicídio de adolescentes com doença bipolar são atribuídos a “desilusões amorosas”, a “crises de adolescência” ou a abuso de substâncias.

Trata-se de uma doença psiquiátrica, as variações de humor são diferentes dos “altos e baixos” normais da vida de todos os indivíduos e são severos ao ponto de prejudicar as relações com os outros, perturbar o funcionamento escolar ou profissional ou mesmo, levar ao suicídio. Habitualmente, a doença bipolar tem o seu inicio na adolescência tardia, no entanto, alguns doentes têm os seus primeiros sintomas na infância. Tal como a diabetes ou a doença cardíaca, trata-se de uma doença crónica que tem de ser tratada ao longo da vida. Apesar disso, quando tratados com sucesso, os doentes bipolares podem levar uma vida normal e plena.

Diogo Guerreiro 2009



Voltar