Loading...
X
Ligue-nos! +351 214 100 480 | alterstatus@gmail.com

Tratamento para surdos

Saúde Mental e Surdez – programa específico para pessoas surdas (em língua gestual). Avaliação, Intervenção e Acompanhamento psicoterapêutico (crianças, jovens, adultos e idosos).
Saúde Mental, Psiquiatria e Surdez – diagnóstico, intervenção e internamento.
Apesar dos progressos ao nível da saúde mental e reconhecimento dos direitos de todos os cidadãos, a maioria dos surdos não tem igual acesso aos serviços de saúde mental. Não só em Portugal mas em muitos países da União Europeia existe ainda um grande desconhecimento profissional sobre as necessidades de saúde mental dos surdos.
A crescente consciência da necessidade de enquadramento linguistico e psicossocial dos serviços no que concerne às necessidades especiais em termos de saúde mental da pessoa surda, é um aspecto ainda negligenciado e desconhecido. O domínio da língua gestual potencializa o conhecimento de questões essenciais e fulcrais a nível da prevenção, diagnóstico e tratamento dos problemas de saúde mental dos surdos. “A saúde mental dos surdos melhorará com um reconhecimento maior da sua língua, cultura e experiências quotidianas”.
A Língua Gestual, é a língua materna das pessoas surdas. Para que os serviços de saúde sejam eficientes e acessíveis devem ser prestados em língua gestual. Sem a ajuda de um intérprete grande parte dos técnicos de saúde está impossibilitada de diagnosticar eficientemente o estado mental do paciente surdo a menos que sejam igualmente fluentes em língua gestual. Deste modo, a população surda tem um desafio adicional significativo, uma vez que a sua língua é diferente da dos seus familiares e da maioria das pessoas no seu país de origem.
Possibilitar cuidados de saúde mental para as pessoas surdas, conscientes das suas necessidades, conhecedores das vivências psíquicas, potencializa a definição de estratégias de prestação de cuidados, intervenção, diagnóstico, encaminhamento e tratamento adequado e coerente.    
Esta consulta possibilitará não só o acolhimento por um técnico que conhece a realidade da pessoa surda, mas prestar um serviço em parceria com outros técnicos de saúde mental, e um enquadramento médico adequado e sensibilizado para esta problemática.

Referências de apoio:
ESMHD – Sociedade Europeia Surdez e Saúde Mental (organização não governamental de promoção da saúde mental da população surda na Europa).
APS - Associação Portuguesa de Surdos (Lisboa).


Alexandra Sofia Alves Pereira



Voltar